Carne aumenta 6,5% em São Paulo


 

Economia - 30/03/2017 - 01:54:47

 

Carne aumenta 6,5% em São Paulo

 

Da Redação com Abr

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Cobrança de ICMS sobre a carne em São Paulo passa a valer em 1º de abril

Cobrança de ICMS sobre a carne em São Paulo passa a valer em 1º de abril


Diante do aumento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre a carne no estado de São Paulo, que entra em vigor no próximo sábado (1°), entidades do setor avaliam que o momento é inoportuno para a medida por causa dos impactos da Operação Carne Fraca.

Deflagrada pela Polícia Federal (PF) no dia 17, a operação investiga fraudes em frigoríficos e corrupção de agentes do Ministério da Agricultura e levou a perdas nas vendas do setor nos mercados interno e externo.

O decreto estadual que define o fim da isenção do ICMS a partir de 1º de abril nas operações com carne foi assinado em dezembro do ano passado, depois de sete anos de vigência do subsídio.

A Secretaria Estadual da Fazenda de São Paulo justifica a mudança de alíquota pela “grave crise econômica” e diz que foram revisados os benefícios concedidos a diversos setores de atividades para “recompor as perdas tributárias dos últimos anos”.

Quando a carne for destinada ao consumidor final, o imposto a ser recolhido será de 11%; antes a alíquota era zero. Os varejistas, como açougues e supermercados, terão abatimento de 7% de imposto ao comprar a carne de frigoríficos e abatedouros, o que resultará em uma alíquota real de 4% de ICMS para o consumidor, com aumento de 1% no preço final dos produtos, segundo cálculo do governo do estado.

“Além de ser neutro em relação à cadeia produtiva – visando preservar os empregos na indústria –, o impacto deve ser mínimo para o consumidor final”, diz a secretaria em nota. “A medida foi criteriosa”, destaca o governo.

Já a Associação Paulista de Supermercados (Apas) calcula que o impacto para o consumidor deve ficar entre 6% e 6,5%. “Aumento de impostos, invariavelmente, tem como consequência o aumento de preços. Portanto, o consumidor com certeza será impactado com a medida. Não há possibilidade desse impacto não chegar a ele, por mais que os supermercados trabalhem com margens menores, o que já é um hábito, para não repassar os custos em sua totalidade ao preço final do produto”, disse a entidade, em nota.

Para o vice-presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Carnes Frescas do Estado de São Paulo, Pedro Cunha, além do aumento do ICMS, outro fator pode elevar o preço ao consumidor: a entressafra. Segundo ele, neste período do ano, a oferta de carne bovina costuma cair por causa da necessidade de suplementos alimentares para o gado em razão da diminuição do pasto pelas condições do clima frio. “É sazonal. É preciso ter mais cuidado para não penalizar ainda mais o consumidor. A carne é alimento básico para o brasileiro.”

Carne suína

O presidente da Associação Paulista da Cadeia Suinícola, Valdomiro Ferreira, diz que o aumento da alíquota vai piorar a situação do setor, que foi fortemente impactado pela Operação Carne Fraca.  “Antes, a arroba do porco era comercializada a R$ 88, R$ 90. Agora, está entre R$ 76 e R$ 80. Se considerarmos o animal mesmo, que fica mais fácil de entender, há uma perda de R$ 56 por animal na venda para o frigorífico”, explica.

Segundo Ferreira, entidades do setor pediram ao governo estadual o adiamento da mudança nas alíquotas do ICMS sobre a carne para não prejudicar a indústria. “O mercado é dinâmico. Tivemos uma situação externa que gerou dúvidas no consumo. Estamos conseguindo diminuir a dúvida e comprovar que todas as carnes são saudáveis”, declarou.

 



;

Links
Vídeo


Últimas Notícias



No Dia Nacional de Combate ao Colesterol, Prefeitura de São Bernardo destaca ações e conscientização


São Bernardo implementa programa Escola de Pais


Prefeitura de São Bernardo e Sabesp dão início à segunda fase do Programa Pró-Billings


Prefeitura de São Bernardo realiza 1º Fórum da Atenção Básica


Prefeitura de São Bernardo inicia ações do “Agosto Dourado”


Com público recorde, maratona cultural no aniversário de São Bernardo atrai 8 mil pessoas