Juros e burocracia dificultam tomada de crédito de micro e pequenas empresas


 

Economia - 01/09/2017 - 11:29:41

 

Juros e burocracia dificultam tomada de crédito de micro e pequenas empresas

 

Da Redação com Abr

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Em pesquisa realizada este ano pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 53% do setor aponta os juros altos como entraves mais importantes. Já 24% reclamam da burocracia

Em pesquisa realizada este ano pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 53% do setor aponta os juros altos como entraves mais importantes. Já 24% reclamam da burocracia


Uma das principais barreiras para a expansão das Micro e Pequenas Empresas (MPE) no Brasil é a dificuldade na obtenção de crédito, segundo a Associação Comercial de São Paulo, que debateu o tema hoje (1º). Em pesquisa realizada este ano pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), 53% do setor aponta os juros altos como entraves mais importantes. Já 24% reclamam da burocracia.

Segundo Guilherme Afif Domingos, presidente do Sebrae, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é o maior ofertante de empréstimos às MPE, respondendo por um quinto do total. No entanto, quase 80% dos empreendedores nunca usaram recursos do BNDES. “A principal barreira é a política de crédito dos bancos repassadores. Então, têm os recursos, mas eles não chegam na ponta.”

A pesquisa do Sebrae mostra que 84% dos micro e pequenos empresários não tomaram empréstimo nos últimos 6 meses. Além disso, 49% nunca pegaram empréstimo pela sua empresa, como pessoa jurídica. Aqueles que fazem empréstimos utilizam seis bancos, que repassam recursos do BNDES quando o empréstimo é inferior a R$ 20 milhões, e são responsáveis por 81% do crédito concedidos às MPE.

Recessão

Para Afif, o crescimento das Micro e Pequenas Empresas seria importante no momento de recessão. “Na crise de desemprego estrutural, quem segura as pontas do emprego é a pequena e microempresa, porque são mais intensivas em mão de obra do que em capital. Quem gera emprego e renda é o universo da pequena empresa, temos que ter um foco nisso.”

A geração de empregos, levando em conta as empresas de micro até grande porte, é significativa nas MPE. Os microempreendedores, cujo faturamento anual é até R$ 60 mil, representam 92,7% das empresas brasileiras e respondem por 23,6% dos postos de trabalho. As pequenas empresas têm faturamento de 360 mil a 3,6 milhões, sendo 6,2% do total de empresas no país e respondendo por 28,6% das vagas de trabalho.

Milton Luiz de Melo Santos, presidente da Agência de Desenvolvimento Paulista (DesenvolveSP), disse que foca no fomento às empresas de inovação e tecnologia, que não têm garantia e histórico de faturamento para obter crédito em bancos tradicionais. “Trabalhamos fortemente com conhecimento científico e agregamos valor. Foram R$ 100 milhões de financiamento para inovação, com 81 empresas atendidas.”

 



;

Links
Vídeo
Turismo SBC


Últimas Notícias




Câmara aprova decreto de intervenção no Rio de Janeiro


Vereadores petistas querem indenização da prefeitura de São Bernardo


MTST realiza discursos políticos contra reforma da Previdência em São Bernardo


MTST descumpre acordo e faz passeata em São Bernardo


Temer convoca Exército para intervir na segurança do Rio de Janeiro


Justiça manda Corinthians e Odebrecht devolverem R$ 400 milhões para a Caixa