Dirceu gastou R$ 49,5 mil em verbas indenizatórias


 

Politica - 05/12/2005 - 09:35:03

 

Dirceu gastou R$ 49,5 mil em verbas indenizatórias

 

Da Redação com agências

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 


Em sua primeira entrevista coletiva após a cassação, o agora ex-deputado José Dirceu (PT-SP) se queixou do salário parlamentar: R$ 12.847,20. "O povo paga mal, mas paga em dia", afirmou. Mas, ao deixar o governo e voltar para Câmara, optou pelos benefícios de deputado, e não os de ministro. Nos cinco meses em que virou alvo de denúncias, o ex-chefe da Casa Civil gastou R$ 49.576,95 em verbas indenizatórias. Ou seja: 165 salários mínimos. Foi em novembro, mês da cassação, que Dirceu teve mais despesas: R$ 21.059,84. As chamadas verbas indenizatórias são oferecidas pela Câmara para cobrir despesas dos parlamentares com a manutenção de escritórios nos seus Estados, entre outras despesas, que são indenizadas mediante apresentação de notas fiscais ao Núcleo de Verba Parlamentar (Nuvep). Oficialmente, a maioria das verbas financiou transporte, hospedagem e alimentação - R$ 37.552,37 gastos. Segundo a assessoria do ex-deputado, Dirceu viajou várias vezes para São Paulo, Rio e outras cidades. Foram R$ 11.659,04 com combustíveis e lubrificantes, utilizados na via-crúcis do ex-deputado. O que surpreende é que ele gastou relativamente pouco com divulgação de atividade parlamentar. No total, foram R$ 4.240,37. Após três mandatos de deputado, Dirceu terá de se adaptar a uma vida mais modesta. Aos repórteres disse: "Sou apenas José Dirceu e me sinto muito bem com isso". Na prática, afirmou que, além das atividades partidárias, vai dedicar-se à advocacia e a escrever uma espécie de livro de memórias. Seu escritório será em São Paulo, onde dividirá as atividades com a colega Lília Ribeiro. Dirceu no INSS O ex-deputado cassado José Dirceu não terá direito à aposentadoria pela Câmara. Uma decisão cautelar do Tribunal de Contas da União (TCU) impede o pagamento pela Casa. Se quiser, poderá se aposentar pelo INSS. Para receber o teto de R$ 2,4 mil mensais, terá de comprovar que contribuiu por 35 anos. O ex-ministro não terá a "sorte" de seus ex-colegas Roberto Jefferson (PTB-RJ) e Valdemar Costa Neto (PL-SP), que conseguiram o benefício. Na ocasião, não havia a medida do TCU. A decisão foi uma resposta ao Ministério Público Federal, que considerou ilegal e imoral premiar o pagamento a quem foi cassado por envolvimento em irregularidades comprovadas pelas CPIs dos Correios e do Mensalão. Entretanto, Dirceu disse que não planeja requerer a aposentadoria. ;

Links
.
.
Vídeo


Últimas Notícias



No Dia Nacional de Combate ao Colesterol, Prefeitura de São Bernardo destaca ações e conscientização


São Bernardo implementa programa Escola de Pais


Prefeitura de São Bernardo e Sabesp dão início à segunda fase do Programa Pró-Billings


Prefeitura de São Bernardo realiza 1º Fórum da Atenção Básica


Prefeitura de São Bernardo inicia ações do “Agosto Dourado”


Com público recorde, maratona cultural no aniversário de São Bernardo atrai 8 mil pessoas